Signo Peixes: nascidos em 14 de Março

Os nascidos em 14 de março tendem a ver-se em relação aos outros. Sua posição na família ou grupo social é extremamente importante para eles, uma vez que define seu papel e estrutura suas atividades diárias.

O tema da relatividade, entretanto, vai além disso em sua vida. Ideologicamente, tendem a ser abertos a várias abordagens e, portanto, acham difícil ter simpatia por pontos de vista absolutos.

Para os nascidos em 14 de março, mudar de idéia é uma especialidade e até os que aderiram a um conjunto fixo de princípios a vida toda estarão abertos a examinarem-se e modificarem-se, caso surja um conjunto propício de circunstâncias.

Os mais evoluídos são capazes de considerar simultaneamente muitos planos diferentes de existência, sejam emocionais, físicos ou espirituais.

Estão também interessados na relação entre o mundo pessoal (preocupação com o aqui e agora) e o universal (princípios imutáveis e eternos).

A maioria dos nascidos em 14 de março realmente acredita em alguns princípios absolutos, sejam eles Deus, a ciência ou a humanidade, mas pode lutar a vida toda tentando definir sua posição no mundo.

Reconhecem que até o fato mais simples pode ser visto de muitos ângulos (tudo depende de como o olhamos), e, portanto, podem sentir grande frustração tentando conciliar seus variados pontos de vista.

Por gostarem de permanecer independentes e não serem, em geral, os primeiros a correr para unirem-se a uma causa ou associar-se a um grupo, os nascidos em 14 de março devem ter cuidado para que os outros não os considerem arredios ou superiores.

Embora tenham um senso de humor aguçado e não tenham medo de expressar suas opiniões vigorosamente, são, de certa forma, cautelosos com relação a oferecer uma amizade mais profunda.

Na sua vida privada, os nascidos em 14 de março tendem a ser abertos, receptivos e tolerantes, uma vez que sabem que qualquer pessoa pode estar certa em uma determinada situação e que todas as perspectivas deveriam ser consideradas.

Têm, no entanto, a tendência a idolatrar um objeto de sua afeição que são incapazes ou estão impossibilitados de conseguir.

Os menos evoluídos, com freqüência, se metem em apuros ao bancarem o favorito na família e são, em geral, propensos a se entregarem a avaliações relativas, onde uma pessoa sofre em comparação a outra.

Os mais bem-sucedidos evoluem para o ponto em que podem apreciar os méritos de uma determinada pessoa ou objeto sem necessidade de tecer comparações.

Reconhecem tanto a semelhança quanto a diferença de todas as coisas vivas, ou seja, uma pessoa é uma pessoa como todas as outras por um lado, mas é um indivíduo único com pensamentos e sentimentos distintos, por outro.

Continua lendo >>>