A cor ocupa grande parte de nossas vidas. A natureza nos proporciona constantemente variados matizes. Um brilhante céu azul pode elevar nosso espírito e um céu escuro e nublado podem fazer-nos sentir deprimidos e desernegizados.
A radiação solar traz alegria a muitos de nós. Cada estação do ano tem diferentes tons. Não preciso falar deles, todos tivemos contato com esses fatos segundo nosso ponto de vista. Quando o céu está claro à noite e a lua é cheia, muita gente se sente influenciada, favorável ou desfavoravelmente por isto.
Tudo tem uma certa frequência de vibração e isto se aplica a todos os órgãos do corpo humano. Se ocorre qualquer desvio da vibração normal tem-se um índice de que o órgão não está funcionando adequadamente.
Todos os órgãos têm uma vibração característica e que pode ser detetada e a tarefa do terapeuta é localizar as vibrações defeituosas do corpo e restaurá-las à saúde normal.
A aplicação da frequência adequada alterará a defeituosa e dará ao órgão o estado de normalidade.
Fadiga, tensão, estresse, medo e todas emoções negativas são criminosos perturbando as vibrações saudáveis.
A cor é uma vibração pura e quando usada na tonalidade certa e focalizada no lugar certo pode corrigir o problema e reconduzir o corpo à saúde.
As cores podem ser visualizadas com alguma perseverança. Tais cores podem ser empregadas num processo de autoterapia ou recomendadas para pacientes. E, é claro, a cor pode ser aplicada através de uma lâmpada colorida.
Há sete cores principais no espectro: vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, índigo e violeta. As cores quentes são-: vermelho, laranja e amarelo.
O vermelho é o elemento do fogo e estimula e excita os nervos e o sangue. Promove a liberação de adrenalina e estimula os nervos sensoriais. Ativa a circulação sanguínea, excita os nervos cerebrospinais e o sistema nervoso simpático. Revitaliza o corpo físico, mas, por ser tão poderosamente estimulante, deve ser usada com cautela. Superestimação pode ser perigosa. Saúde significa equilíbrio.
O vermelho é contra-indicado em todas as inflamações e em muitos dos casos de perturbações emocionais. Nunca se deve fazer um tratamento exclusivamente com vermelho – é preciso complementá-lo com uma radiação com verde ou azul.
O laranja é uma combinação do vermelho e do amarelo. Tem efeito antiespasmódico. Bom no tratamento das cãibras musculares e nos espasmos. O laranja auxilia o metabolismo do cálcio e fortalece os pulmões, pâncreas e baço. Esta cor acelera a pulsação mas não eleva a pressão sanguínea. Fornece energia ao baço e pâncreas.
O laranja fortalece o corpo etérico, vivifica as emoções e cria um sentimento geral de bem-estar e disposição.
O amarelo ativa as músculos motores e gera energia nos músculos. Favorece a digestão mas se usada durante muito tempo pode provocar diarreia porque estimula o fluxo de bile. O amarelo afasta os parasitas. Melhora a condição da pele e purifica o sangue. Ativa a linfa. O amarelo pode deprimir o baço. Sob o ponto de vista psicológico, afeta a melancolia e o desespero. É a cor do intelecto e da razão.
O amarelo é contra-indicado em casos de inflamação aguda, delírio, diarreia, febre, superexcitação e palpitações.
O verde é a cor média do espectro. O verde dilata os capilares e produz sensação de calor. Alivia a tensão, mas usado em excesso torna-se enfadonho. Estimula a glândula pituitária e é um recons-trutor dos tecidos e músculos. O verde é um desinfetante; libera e ao mesmo tempo regula o corpo etérico e recupera o corpo astral que tenha sofrido choque, fadiga, moléstia ou emoções negativas.
Azul, índigo e violeta são cores frias.
Azul acelera o metabolismo. Promove crescimento e supuração. Cura queimaduras muito rapidamente. O azul é a cor da intuição e das faculdades mentais elevadas.
O azul é contra-indicado para resfriados, gota, hipertensão, con-trações musculares, paralisia, reumatismo crónico e taquicardia (batimento cardíaco acelerado).
O índigo é refrigerante, adstringente e elétrico. Atua sobre as paratiróides, mas deprime as tiróides. Quando a tiróide está sobrecarregada deve-se tratar as paratiróides com índigo. Purifica a corrente sanguínea e prepara os leucócitos no baço. Reduz ou mesmo estanca hemorragias. Sempre que hemorragia excessiva estiver presente, trate as paratiróides com índigo. Reduz o ritmo respiratório e tonifica os músculos.
Usado demoradamente tem efeito anestésico, além disso afeta a visão, audição e paladar. Afeta também os níveis emocional e
espiritual e auxilia no tratamento de moléstias mentais, como o “delirium tremens” e a insónia. Podem-se curar obsessões com ele, mas neste caso o terapeuta deve precatar-se para não adquirir tal obsessão.
O violeta deprime os nervos motores e o sistema linfático, bem como o sistema cardíaco. Purifica o sangue e promove a produção de leucócitos. O violeta mantém o balanço de potássio no corpo. Detém o crescimento de tumores. No tratamento de pacientes operados de câncer, três cores podem auxiliar:
Vermelho para energizar o sistema.
Verde para estabilizar o corpo astral.
Violeta para restaurar o equilíbrio sódio-potássio.
O violeta é uma cor boa e calmante nos casos de violenta insanidade. Controla a fome excessiva. É uma cor espiritual. O poder de meditação é extremamente aprofundado sob luz violeta. O Conde de Saint-Germain curava principalmente com os raios violeta.
O ultravioleta está fora do espectro visível. Tal radiação desempenha um papel importante no metabolismo de cálcio-fósforo. Fixa o ferro e o iodo sendo portanto útil no tratamento de bócio e raquitismo. Normaliza o metabolismo e a atividade glandular. Estimula a atuação do sistema nervoso simpático e auxilia a reduzir a dor. É favorável ao bom funcionamento do coração e dos pulmões.
Há combinações de tons usados no tratamento pelas cores.
O limão é uma mistura de amarelo muito claro com verde muito claro. O limão rejuvenesce o organismo e elimina as toxinas. É laxante, anticatarral e fortalece os ossos. É um estimulante cerebral, ativa o timo e cura a imbecilidade. É antiácido.
O púrpura e o escarlate são combinações de vermelho e azul. O púrpura é composto por mais azul e menos vermelho. O escarlate tem mais vermelho e menos azul.
O púrpura tem propriedades analgésicas. Suprime a malária e estimula as veias.
O escarlate estimula os rins e os mecanismos sexuais.
O magenta é uma combinação de vermelho e violeta e energiza as adrenais e a ação do coração. É diurético. Em alguns casos atua como estabilizador emocional.
O turquesa é o oposto do raio limão. Auxilia a formação da pele. Quando se trata uma queimadura com azul pode ser de grande ajuda empregar o turquesa para apressar a formação do tecido epitelial. É um depressor cerebral. Reduz a superatividade mental.

Curta