Home / Cromoterapia / Sistema da ciência das cores (cromologia)

Manuscritos desses tempos primitivos mostram que, na Índia, China e Egito, os taumaturgos possuíam um sistema completo de cromologia baseado na lei de correspondência entre a natureza setenária do homem e a divisão setenária do espectro solar. Assim, as leis fundamentais e os princípios que governam a energia cósmica que conhecemos sob a designação de cor sempre estiveram presentes nos ensinamentos da Sabedoria Antiga destinados aos mestres e terapeutas de todos os tempos. Todavia, a pesquisa moderna, física e metafísica estão demonstrando, como em muitos outros campos, a sabedoria dos antigos quanto ao uso da cor nos processos de cura. Veremos tal assunto inicialmente pelo mais ortodoxo dos ângulos, aquele em que os médicos e cientistas têm laborado na pesquisa do uso das formas mais finas da natureza para a cura efeti-va de muitas moléstias e que causaram o uso terapêutico das cores com sucesso.
Sabendo-se que a moléstia é uma busca de harmonia no sistema, a ideia subjacente nas técnicas cromoterápicas é a busca de um rebalanceamento corporal através da aplicação de feixes de luz colorida sobre o corpo.
Embora a cromoterapia, do mesmo modo que muitas das ciências redivivas na atualidade, tenha suas raízes no passado, em nossos tempos o interesse começou realmente com experimentos realizados em plantas por Robert Hunt, cujo livro Researches on Light in Its Chemical Relations, apresentava descrições de aplicações seletas de luz influenciando o crescimento das plantas. O primeiro livro escrito acerca da aplicação da cor para fins terapêuticos intitulado Blue and Red Light, or Light and Its Rays as Medicine, pelo Dr. S. Pancoast, foi publicado em 1877. Tratava basicamente do uso do vermelho estimulante e do azul calmante, contrastando-os em seus efeitos sobre o corpo humano.
No ano seguinte o Dr. E. D. Babbitt publicou sua monumental obra descrevendo os efeitos das diferentes cores do espectro e de seu uso como agentes de cura. Contudo, foi um cientista indiano chamado D. P. Ghadiali que descobriu os princípios científicos que explicam porquê e como os diferentes raios coloridos têm efeitos terapêuticos diversos sobre o organismo. Em 1933, após vários anos de pesquisa, Ghadiali publicou The Spectro Chromemetry Encyclopaedia, uma obra-prima sobre a cromoterapia. Ghadiali trabalhou e lecionou nos EUA, tendo desenvolvido vários tipos de lâmpadas coloridas.

 

Brasil Astral

cromologia